Site - ZIRIGUIDUM

Obra de Rubens Lisboa ganha 45 vozes
Box com três CDs traz composições inéditas do artista em importantes releituras
por Beto Feitosa


Depois de lançar quatro álbuns interpretando a própria obra, o sergipano Rubens Lisboa apresenta um projeto que realiza o sonho de qualquer compositor. Em um box com três CDs reúne nada menos que 45 artistas que interpretam suas composições inéditas. Em Rubens Lisboa por tantas vozes o compositor escreve capítulos fundamentais em sua história com uma seleção que, mesmo ampla, não perde em vista a qualidade dos artistas envolvidos.
Em um projeto tão amplo e plural seria natural um nivelamento médio, o que não acontece. O bom gosto e critério artístico - fundamental, já que disso dependeria a qualidade do projeto - na seleção dos artistas participantes garante muitos bons momentos. Com vários destaques como as vozes sempre perfeitas de Vânia Bastos em Foliar, Ná Ozzetti em Meu choro e Zé Renato em Sete ondas. A seleção passa pela força de Rita Ribeiro em Digitais, a elegância particular de Cida Moreira em Quase brega, a emoção de Alaíde Costa em Promessas, o tom afro de Fabiana Cozza em Drummondiana, a ginga de Elza Soares em Carrapato e a preciosa interpretação de Leila Pinheiro em Ciranda do amor. A diva do jazz Ithamara Koorax, que já havia participado de um trabalho do compositor, está de volta na deliciosa Cada.
Atento, Rubens Lisboa ainda escalou nomes recentes. Representando a cena atual, Silvia Machete garante a marca em Diferente, Anna Ratto vem doce em Replay, Edu Krieger faz carnaval pop em Não me leve a mal enquanto Márcia Castro mistura humor, eletrônica e guitarra baiana em O negócio é sério. Mariana Baltar está em casa com Incendiando enquanto Rodrigo Bittencourt brinca de fazer samba online em Conectado, Ana Costa levanta a bandeira social em Greve de samba e Fred Martins encerra o terceiro volume com Tralha.
Cada artista teve liberdade para criar. O compositor enviou como referência uma gravação simples voz e violão e deixou o ambiente livre para as digitais. E, no fim do quebra-cabeças, tudo faz sentido. A obra de Rubens Lisboa é valorizada por um naipe variado de interpretações e apresenta um painel interessantíssimo de artistas contemporâneos.

Rubens Lisboa